Publicado por: Carlos | 23/04/2009

Laranja Mecânica (A Clockwork Orange)

644506694Sinopse:
“O anti-herói do filme é Alex DeLarge (Malcolm McDowell), um jovem líder de uma gangue de delinqüentes, amantes de leite drogado e música clássica. Tem por diversão bater, estuprar, matar… Enfim, cometer qualquer brutalidade que tenha vontade, não se importando com as leis ou o senso humanitário. Quando finalmente é pego pela polícia, sofre um tratamento duro de reabilitação. Quando Alex volta às ruas, totalmente regenerado, passa a sofrer com aqueles que antes eram as vítimas.” (sic)

Eu estava receoso para ver Laranja Mecânica (A Clockwork Orange), afinal é mais um filme do Kubrick. Confesso que, para mim, sempre tem um Q de A roupa nova do rei, nos filmes de Kubrick. E, mais uma vez, eu, até gostei do filme, mas não vi nada de genial nele, como não vi em O Iluminado e em  2001 uma odisséia no espaço. De olhos bem fechados eu até gostei, mas tem Nicole Kidman nua e isso pode ter influenciado minha opinião.

Voltando a Laranja Mecânica, antes de mais nada, gostaria de mencionar que o filme é cheio de palavras e expressões estranhas que não fazem parte de nenhuma língua conhecida. Buscando explicações na internet encontrei este site que contém a lista de todas as palavras inventadas pelo autor e seus significados. O site chama-se: Bate Cabeça.

Sempre que li ou conversei sobre este filme, fui informado que era um filme muito violento, com cenas chocantes e perturbadoras. Ontem, resolvi assistir ao tão falado e famoso filme.

Sinceramente, não foi tão violento assim. Talvez até tenha sido violento na época que passou (1971), mas pra quem é da geração Quentin Tarantino vai achar o bem light. Embora, temas como estupros e espancamentos sejam sempre impactantes.

O filme é bem chatinhos, vamos falar a verdade. Os atores gritando suas falas, sempre terminando uma frase com “Brothers” (parece o Desmond do Lost),  e usando aquelas expressões nada a ver, por diversas vezes me fizeram pensar em parar de assistir o filme, mas fui até o final.

Após mais de duas horas assistindo ao filme, chego a conclusão que, qualquer individuo por mais desprezível que seja, pode passar da condição de descartável à essencial para a sociedade, basta ter um poder maior manipulando as mentes condicionadas. Outra coisa que me chamou à atenção, foi a maneira como diretor nos leva para as profundezas da depravação humana ao som da música de Beethoven.

Anúncios

Responses

  1. Um Horrorshow de filme. Até hoje um dos melhores que já vi e depois q estudei um pouco de cinema, pude compreender o quanto é magnifico o trabalho do kubrick!

  2. deve seeer bom (:

  3. Conheço-lho. Inclusive vi-lho de volta ano passado, numa rodada de ficção científica num projeto de extensão da universidade daqui de PG. E li o livro tbm, q é mais tchans. Se puder, leia-lho.

  4. Fala Carlos eh sempre bom receber sua visita.

    No meu blog especifico mais meu conhecimento por filosofia, mas sou um cinéfilo também. “Laranja Mecânica” acho que já vi umas 30 vzs rsrsrs a trilha sonora então, sensacional!

    Abraços!

  5. Rsrsrs acho que o Kubrick é demais pra cabeça msm… Tanto que é um filme muito revolucionário para a época. Mas ele trata principalmente da relação entre indivíduo e Estado, anarquia, rebeldia, crime e o controle das massas, temas que eu penso quase no dia-dia…

    Pra quem não tem cabeça pra ver, é melhor nem tentar… é muito complexo

    BRUNO

  6. parabéns pelo post.

  7. não sou fã de kubrick pelo contrário. já peguei laranja mecânica 3 vezes para ver, e nunca consegui terminar… acho muito chato e totalmente sem sentido. mas o iluminado eu achei beeem legal, apesar dele jogar fora a obra de stephen king e fazer uma própria. outro filme que odiei do kubrick foi lolita, pq o livro é incrível, intenso e o filme é parado e monótono. outros, eu nem pego pra ver, porque já é testar os limites da minha paciência… mas vc disse tudo! kubrick é a roupa nova do rei. 🙂

  8. Eu nunk assisti mas jah ouvi falar…
    Sinceramente, nem sinto vontade de ver!
    Acho que não faz meu estilo O.o
    Sou mais “A Outra História Americana”… massão xD

    Bjim 😉

  9. filmaço, ótimo post… valeu a lembrança de Kubrick

  10. Também não sou um grande fã de Kubrick não. Concordo com você que não há nada de genial em “2001”, acho que ele é o tipo de diretor que se considera um gênio e por isso acaba exagerando no estilão conceitual e tal. Isso agrada a crítica porque de fato Kubrick é tecnicamente perfeito, mas não me envolveu como espectador. E pra mim filme bom tem que capturar, envolver, levar você para longe junto com ele. Foi o que aconceteu com “Nascido Para Matar”, por exemplo, que eu achei bem mais equilibrado e racional do que toda a experimentação com “2001”. Acho que sou o único a dizer isso, mas Kubrick morreu sem aprender a se controlar. Ainda não vi “Laranja Mecânica”, mas deve ser no mesmo estilo pelo que ouvi você dizer.

    Abraço

  11. olá Carlos, tudo bem?
    Parabéns pelo blog, dei uma olhada geral nele e tem muita coisa interessante.
    a respeito desse filme em específico, eu gostei muito. Realmente concordo que seja um filme “estranho” (é kubrick), pois trabalha com alguns temas essenciais para o ser humano, tais como a linguagem, a violência, o poder. Algo que me chamou muito a atenção no filme é que as cenas de violência são acompanhadas de músicas que, normalmente, não remetem à violência. Outra coisa é o eterno desejo de poder manipular totalmente um ser (saída para o problema da violência de hoje no Brasil?). O interessante é que esse desejo está sempre presente… basta ver isso na voz de especialistas na TV quando debatem sobre algum crime ou mesmo, de um modo mais velado, nos trabalhos cheios de “boa intenção” feitos por voluntários para tirarem meninos da rua, do crime, etc…
    O poder, no filme, é interessante, no sentido de se ver como há uma luta constante por ver quem é o dominador (na gang do Alex, entre as gangs, na prisão, etc.)
    agora, a linguagem é um caso a parte, que acho difícil de comentar. podemos pensar como uma paródia às gangs, que usam termos internos a eles, podemos pensar como uma forma de se chocar ao usar uma liguagem diferente, etc…

    abraço
    adilson

  12. O filme eh maravilhoso
    Sou apaixonada por ele
    O ator que faz Alex, é impressionante como ele conseguiu se encaixar certinho com o papel!
    O filme eh ótimo!

  13. Quanta merda alguém pode escrever na internet hoje em dia!! Igual essa sua opiniãozinha mediocre sobre o grande Laranja Mecânica. Proveniente do mais grande ainda “Laranja Mecância” de Anthony Burgess. Se manca cara, não escreva sobre o que vc não entende!!!

  14. Nossa, você deve ser daqueles que assistiu a todos os filmes da franquia Velozes e Furiosos, e conta os dias para uma ‘continuação’. =.=”


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: